Café : Pesquisadores desenvolvem técnicas para detectar adulterantes no moído – 08/02/2018

Porto Alegre, 07 de fevereiro de 2018 – A adição de outros materiais vegetais ao café torrado e moído será mais facilmente desvendada por meio dos novos métodos de detecção desenvolvidos por pesquisa da Embrapa Agroindústria de Alimentos (RJ) e parceiros. As novas técnicas permitirão aos órgãos de fiscalização e de controle de qualidade detectar, com mais eficácia, adulterantes misturados ao pó de café.

De acordo com os pesquisadores da Embrapa, Edna Maria Moraes Oliveira e Otniel Freitas Silva, líderes da equipe de cientistas do projeto, os métodos desenvolvidos pela pesquisa apresentaram rapidez, precisão e especificidade para detectar e identificar os adulterantes mais comuns adicionados ao café torrado e moído, como milho, arroz e cevada. Também mostraram capacidade de aferir a quantidade de adulterante presente em cada amostra além de alta
sensibilidade, capaz de detectar até pequenas quantidades de adulterantes.

Os métodos de base molecular identificam sequências específicas, os marcadores moleculares, previamente selecionadas do genoma (DNA) dos adulterantes mais comuns. Esses, torrados e moídos como o café, são de difícil detecção pelos métodos utilizados atualmente, baseados na
visualização por microscopia e macroscopia das características visuais de cores e imagens de cada produto adulterante em teste, o que depende muito da experiência do analista.

“Os métodos convencionais não são específicos para café ou para os adulterantes mais utilizados nesse produto, ou seja, não permitem identificar os adulterantes individualmente. Já a técnica PCR em tempo real vem sendo amplamente utilizada para a análise de sequências específicas de DNA de diferentes matrizes alimentares”, ressalta Edna Oliveira. A PCR, sigla para reação em cadeia da polimerase, é uma das técnicas mais utilizadas em laboratórios de pesquisas médicas e biológicas.

Método baseado em Cromatografia Líquida e Espectrometria de Massas

O outro método desenvolvido é baseado em Cromatografia Líquida de Ultra Eficiência e Espectrometria de Massas, que utiliza os aparelhos Cromatógrafo Líquido de Ultraeficiência acoplado a Espectrômetro de Massas UPLC/MS-MS – e oferece resultados mais rapidamente e com maior precisão. Esse está em fase de validação qualitativa. A pesquisadora Ana Cristina Gouvea, colaboradora envolvida no projeto por meio de uma bolsa do Programa de Bolsas e Auxílio do Consórcio Pesquisa Café, ressalta o ineditismo da utilização da análise por
UPLC/MSD-MS de marcadores de açúcares característicos das matrizes dos principais adulterantes em café (arroz, soja, cevada e milho). “É uma inovação científica”, comemora.

No início do desenvolvimento do método, foram identificados os açúcares presentes nas matrizes de cada adulterante-alvo. A análise havia sido iniciada por Cromatografia Líquida e detector convencional por meio de Indice de Refração, pela analista da Embrapa Manuela Santiago, que constatou que não o não atendimento foi devido à baixa concentração dos açúcares presentes nos
adulterantes. A aprovação do atual projeto deu início ao desenvolvimento do método qualitativo sob a responsabilidade da pesquisadora Renata Borguini. O estabelecimento dos parâmetros do Espectrômetro de Massas foi realizado no mestrado do bolsista Víctor de Carvalho, sob orientação do pesquisador Ronoel Godoy no programa de pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

Foi estudada a fragmentação das moléculas dos adulterantes por meio da quebra das moléculas dos açúcares no espectrômetro de massas. “Isso gera quebras em fragmentos específicos correspondentes ao peso molecular de cada substância-alvo, pois a estrutura de cada açúcar é diferente [para cada adulterante]”, explica. Para chegar a esse resultado, a equipe dedicou
especial atenção ao aperfeiçoamento da etapa de extração, buscando alcançar um processo muito seletivo. “O segredo está na extração e purificação que garantam que outras substâncias não estejam presentes e ‘encubram’ os marcadores. Com o aperfeiçoamento da extração, conseguimos
observar os íons requeridos, os marcadores”. Depois, foi testada com sucesso a detecção desses marcadores em amostras de café misturadas com adulterantes em proporções de 0,2%, 1%, 5% e 25%. “É um método robusto e de alta sensibilidade. Foi capaz de detectar a presença de apenas 0,2% de adulterante,” afirma a especialista.

Mercado mais exigente

A exigência dos consumidores foi uma das principais motivações para a elaboração do projeto, que busca contribuir para a evolução do mercado de café no Brasil. O Consórcio Pesquisa Café financia a pesquisa, que conta também com recursos do programa especial Capes-Embrapa da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que oferece bolsas para pós-graduação; além de projeto financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

“A percepção e a pressão do consumidor vêm aumentando nos últimos tempos, exigindo do mercado a garantia de acesso a produtos de qualidade. Os consumidores sabem que o Brasil produz excelentes cafés”, observa a pesquisadora Edna Oliveira.

Elaboração de material de referência

Para o desenvolvimento de métodos quali-quantitativos é necessário o uso de materiais de referência, que, no caso de adulterantes em café torrado e moído, são inexistentes. O projeto previu a elaboração desses materiais, desenvolvidos pela doutoranda em Alimentos e Nutrição Cinthia de Carvalho Couto, sob a orientação do pesquisador da Embrapa Otniel Freitas Silva.
Inicialmente, o material de cada espécie de café (Coffea Arabica e Coffea Canephora) foi selecionado, torrado, moído e padronizado o tamanho de suas partículas, seguido da elaboração de materiais com diferentes proporções de café arábica e robusta (100% de uma espécie e misturas com 95%, 50%, 25% e  5%). “O café gourmet, por exemplo, tem que ser 100% arábica”, lembra  Cinthia. “Este material de referência só tem aqui. Ele foi padronizado para esta detecção e não para outros analitos,” completa.

A esses materiais serão adicionadas quatro matérias-primas vegetais torradas e moídas – arroz, milho, soja e cevada – que serão submetidas a ensaios interlaboratoriais, envolvendo outras instituições parceiras como Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Laboratório Nacional Agropecuário em Minas Gerais
(Lanagro-MG), para verificar se em tais materiais de referência essas instituições vão detectar os adulterantes, mesmo utilizando diferentes métodos. Os materiais de referência também serão utilizados para testar um método de diferenciação em blends contendo as duas espécies de café.

As informações partem da Embrapa.

0 comentário(s)

Escreva um comentário:

Nome:
E-mail:
Site: (opcional)
Comentário:

Outros artigosIr para página inicial

Café : Europa consome 52 mi scs por ano, 32% do consumo mundial – 20/11/2018

Café : Europa consome 52 mi scs por ano, 32% do consumo mundial – 20/11/2018(0)

Porto Alegre, 19 de novembro de 2018 – O consumo mundial de café em 2017 foi estimado em 162,232 milhões de sacas, volume que representa crescimento de 1,8% em relação a 2016, o qual foi de 159,392 milhões de sacas de 60kg. A Europa, que é o maior bloco consumidor de café em nível mundial,

Café : Exportações chegam a 2,090 mi sacas em novembro – Secex – 19/11/2018

Café : Exportações chegam a 2,090 mi sacas em novembro – Secex – 19/11/2018(0)

Porto Alegre, 19 de novembro de 2018 – As exportações brasileiras de café em grão em novembro, até o dia 18, com 10 dias úteis contabilizados, foram de 2.090.400 sacas de 60 quilos, com receita de US$ 265,4 milhões e um preço médio de US$ 126,90 por saca. Como comparação, em outubro de 2018, as

Café : Consultor de SAFRAS & MERCADO aponta manutenção de cenário fundamental fraco – 19/11/2018

Café : Consultor de SAFRAS & MERCADO aponta manutenção de cenário fundamental fraco – 19/11/2018(0)

Porto Alegre, 19 de novembro de 2018 – Os fundamentos seguem fracos no mercado internacional do café. A avaliação é do consultor de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach. A ampla oferta global, com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reavaliando a safra brasileira de 2018/19 para 63,5  milhões de sacas, o “fluxo crescente

Café : Semana : Exportações brasileiras de café já atingem 1,5 mi scs em novembro – 16/11/2018

Café : Semana : Exportações brasileiras de café já atingem 1,5 mi scs em novembro – 16/11/2018(0)

Porto Alegre, 16 de novembro de 2018 – As exportações brasileiras de café seguiram em forte ritmo nesta primeira metade de novembro. Depois do recorde alcançado em outubro, o país caminha para mais um fechamento mensal bem acima das 3 milhões de sacas. Os embarques de café em grão em novembro, até o dia 11,

Café : Contratos em NY podem descer abaixo de 113 cents no contrato março 2019 – 13/11/2018

Café : Contratos em NY podem descer abaixo de 113 cents no contrato março 2019 – 13/11/2018(0)

São Paulo, 13/11/2018 – Os contratos futuros de café arábica registraram perdas no pregão de ontem da Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado deve continuar enfraquecido pelas rolagens de posição, indicadores técnicos, entre outros fatores. O diretor da exportadora Comexim nos Estados Unidos, Rodrigo Costa, informa em relatório semanal que “um dos



Cotações - Café, Dólar, Índices


  Café NY
Ativo
Último
Var.
Fech.
Dezembro/2018
110.65
-1.70
112.35
Março/2019
114.90
-1.75
116.65
Maio/2019
117.75
-1.70
119.45
Julho/2019
120.40
-1.70
122.10
Setembro/2018
123.00
-1.65
124.65
 
  Café BMF
Ativo
Último
Var.
Fech.
Março/2019
136.10
Dezembro/2018
132.00
Setembro/2019
142.35
Dezembro/2019
147.65
 
  Café Londres Robusta
Ativo
Último
Var.
Fech.
Novembro / 2018
1599
-10
1609
Janeiro/2019
1625
-7
1632
Março/2019
1637
-7
1644
Maio/2019
1651
-6
1657
Julho/2019
1665
-5
1670
 
  Dólar
Ativo
Último
Var.
Fech.
Comercial
3.7591
-0.0049
3.7640
Paralelo
3.9200
-0.0100
3.9300
Turismo
3.9100
-0.0100
3.9200
PTAX800
3.75740
+0.00000
3.75470
PTAX850
3.75910
+0.00380
3.75530
 
  Dólar Futuro
Ativo
Último
Var.
Fech.
Novembro/2018
NA
NA
NA
Dezembro/2018
3759.000
 
  Índice Bovespa Futuro
Ativo
Último
Var.
Fech.
Outubro/2018
NA
NA
NA
 


Início

Copyright © 2000 - 2014 - Café da Terra. Todos os direitos reservados.